Marque um atendimento e solicite uma proposta de honorários!

×

Fale conosco

Marque um atendimento e solicite uma proposta de honorários!

Como se prevenir de golpes no Whatsapp?

Por Douglas Guergolette Alfieri

 

Hoje em dia tem sido cada vez mais comum que os criminosos se utilizem do Whatsapp para aplicar golpes.
O aplicativo é a principal rede social para troca de mensagens utilizada pelos brasileiros, são mais de 110 milhões de usuários no nosso país.
E talvez seja até por isso que o aplicativo seja tão utilizado por pessoas mal intencionadas.

Os golpes são os mais diversos, mas recentemente temos visto um aumento nos casos de clonagem de Whatsapp e de pessoas se passando por outras com números diferentes mesmo, em geral para pedir dinheiro pelos motivos mais diversos ou até mesmo para roubar seus dados para praticar outros crimes.

Os criminosos utilizam da chamada engenharia social, pesquisam as vítimas nas redes sociais, acessam os perfis abertos, buscam anúncios em sites de compra e venda, usam às vezes até o Linkedin para encontrar informações que possam ser usadas para pedir dinheiro dos contatos em nome da vítima.

E o que nós podemos fazer para evitar ser vítima desses golpes?
O que podemos fazer se por acaso formos vítimas desses golpes?

Vamos trazer aqui algumas dicas que podem fazer toda a diferença nessas horas!

Primeiramente, para evitar ser vítima desses golpes:

Nunca compartilhe seu código de ativação do Whatsapp.

Esse é aquele código de seis dígitos que recebemos por sms na hora que instalamos o aplicativo.

Muitas vezes os criminosos ligam pra você, e inventam uma história, utilizando pessoas que você realmente conhece, para te convencer que ele está enviando um sms para você com um código que você precisa passar para ele.

Nunca passe nenhum código que receber por sms para pessoas que estiverem te ligando, se não tiver certeza que está falando com quem a pessoa diz ser, e ainda assim, peça confirmações.

Ao fornecer esse código de seis dígitos para o criminoso, ele consegue instalar o Whatsapp num aparelho dele com o seu número e se passar por você perante os seus contatos.
Para quem recebe as mensagens, a pessoa acredita estar de fato falando com você, com o seu contato, o que facilita o trabalho dos criminosos, que pedem dinheiro alegando os mais diversos motivos.

Ative a verificação de duas etapas

A verificação em duas etapas é como uma senha extra para a sua conta e em geral permite que você tenha muito mais segurança nas suas contas.
Ativar essa opção em todas as suas contas, seja de email, redes sociais e qualquer outra plataforma que permita, dificulta e muito o trabalho de criminosos que podem querer tentar invadir sua conta.

No Whatsapp, funciona assim: ao instalar o aplicativo, você recebe o sms com o código de seis dígitos e, se tiver com a verificação em duas etapas ativadas, você terá que colocar também uma senha que você escolheu e só você sabe, para que o aplicativo funcione.
Essa senha ainda é solicitada periodicamente para garantir que ainda é apenas você que tem acesso às suas mensagens.

Para ativar a verificação em duas etapas no seu celular é muito fácil!
No aplicativo, é só ir em “Ajustes” (iOS) ou “Configurações” (Android), depois em “Conta” e então em “Confirmação em duas etapas”. Lá você ativa essa função e escolhe sua senha!
Lembre-se de nunca compartilhar essa senha com ninguém!

Em outras plataformas, normalmente funciona assim: além do seu usuário e senha, é solicitado um código de seis dígitos que pode ser enviado para você por sms (menos seguro) ou através de um aplicativo autenticador (mais seguro).
Então para acessar sua conta, além da sua senha pessoal, ainda é solicitado esse código, que é modificado a cada 15 segundos nos aplicativos autenticadores, ou são códigos únicos quando enviados por sms.

Utilize senhas fortes

Não é à toa que cada vez mais as plataformas têm exigido senhas com certos requisitos como: letras minúsculas e maiúsculas, números e símbolos para aceitar uma senha.
Quanto menos caracteres diferentes, entre essas categorias, sua senha tiver, mais fácil é de uma pessoa mal intencionada descobrir sua senha.

Se você usar informações pessoais, como nomes e telefones, fica ainda mais fácil para o criminoso.
E por incrível que pareça, as senhas mais usadas ainda são as sequências numéricas: 123456, 123456789, 12345678, 111111, 123123, entre outras. [1]

Então use senhas fortes, não facilite para o criminoso.

Além disso, use senhas diferentes para serviços diferentes.
Usar a mesma senha permite que, caso um hacker descubra sua senha em uma plataforma, ele consiga acessar todas as outras, caso você não tenha verificação em duas etapas ativada.

Não deixe sua conta logada no Whatsapp Web em computadores que não sejam particulares

Se você acessar o Whatsapp Web num computador público, pode ser que sua conta não tenha sido clonada, mas uma pessoa mal intencionada esteja utilizando seu Whatsapp para observar suas conversas, coletar dados ou até mesmo aplicar golpes.

Desconfie de ligações e mensagens de empresas com linguagem muito informal

Se você receber uma ligação de uma empresa pedindo para confirmar seus dados, ou te informando que ganhou um sorteio do qual você não se lembra de ter participado, ou ainda que tem uma promoção imperdível se você fechar naquele momento, DESCONFIE.

Se receber mensagens tanto pelo Whatsapp como por sms, de números desconhecidos, com links para promoções, para sorteios, NÃO CLIQUE.
É quase que instintivo clicar em links quando recebemos eles, mas devemos sempre verificar quem está nos mandando e sobre o que deveria ser esse link, se ele faz sentido.

Os criminosos muitas vezes enviam links para você participar dessas promoções, sorteios, prêmios, para que você acesse o site falso onde ele poderá roubar seus dados, ou te fazer pagar algum boleto ou fazer algum pagamento ou transferência.
Muitas vezes esses sites também são utilizados apenas como meio para que eles ganhem dinheiro com a publicidade do site de forma ilegal.

Um outro detalhe que devemos sempre prestar atenção, é se a pessoa está se comunicando se utilizando de um português correto.
Se receber mensagens de empresas com erros de português, DESCONFIE.
As pessoas que realmente entram em contato com o consumidor representando as empresas sempre são pessoas educadas, que usam o idioma corretamente.

Nunca compartilhe informações pessoais a pedido de ninguém pelo Whatsapp

Sempre que alguém pedir seus dados pessoais pelo Whatsapp, devemos pensar primeiro que a pessoa pode ter tido seu Whatsapp clonado e está pedindo seus dados pessoais para poder aplicar outros golpes como fraudes bancárias, por exemplo, o que vai te trazer muitos transtornos no futuro.

Os dados que devemos ter o maior cuidado para não compartilhar são o CPF, a data de nascimento, dados de cartão de crédito e qualquer tipo de senha.
Se realmente precisar passar seus dados pessoais para alguém, verifique se está de fato falando com a pessoa, pesquise na internet se aquele número pertence de fato àquela empresa, ligue na empresa e se previna.

Hoje nossos dados podem ser utilizados para os mais diversos tipos de fraude, desde contratação de empréstimos em nosso nome, abertura de contas e cadastros, até utilização do nosso nome para aplicação de golpes em outras pessoas, então temos que tomar cuidado ao compartilhar nossos dados, não são apenas os dados das pessoas mais ricas que os hackers buscam, eles buscam aqueles que são alvos mais fáceis, então desconfie sempre.

Nunca transfira dinheiro para alguém só porque a pessoa lhe pediu pelo Whatsapp, não importa quem seja

Sempre desconfie de pedidos de dinheiro pelo Whatsapp, ainda mais se a pessoa alegar urgência.
Entre em contato por telefone com a pessoa que supostamente está te pedindo dinheiro e confirme se ela de fato está precisando de dinheiro, porque, questione se não se trata de um golpe.
Se a pessoa não atender o telefone, desconfie e não tome ações precipitadas.

Também desconfie se a transferência não for feita diretamente para a pessoa com quem você está falando, e sim para contas de terceiros.
Isso deve acender um sinal de alerta, especialmente se nunca tiver ouvido falar no titular da conta para onde o dinheiro estiver sendo transferido.

Muitas vezes os criminosos, quando clonam Whatsapp ou quando tentam se passar por outra pessoa, mesmo sem clonar a conta, tentam focar nos familiares, que são mais suscetíveis a dar o dinheiro para os parentes.
Em geral, os pedidos de dinheiro focam nos pais, filhos e irmãos das vítimas, então sempre que um parente próximo te pedir dinheiro pelo Whatsapp, desconfie.

Mas e se já tiver sido vítima?

As dicas são diversas, para os mais diversos tipos de golpes, então vamos focar em alguns.

Caso sua conta do Whatsapp seja clonada

A primeira coisa que você deve tentar, é acessar sua conta novamente pelo seu próprio celular. Quando alguém clona seu Whatsapp, ele é desconectado do seu aparelho e muitas vezes apenas reconectar já pode resolver o problema.

Se não conseguir recuperar a conta dessa forma, você pode enviar um email para o Whatsapp ([email protected]) e no assunto do email você coloca “Perdido/Roubado: desative minha conta” e no texto do email você explica a situação e lembra de incluir o número do seu telefone com DDD e código do país (no Brasil é +55).

Essa desativação da conta é provisória, mas desconecta todos que estiverem usando a sua conta, evitando maiores problemas. Um detalhe importante é que você tem 30 dias para recuperar a sua conta, então não deixe o tempo passar, não perca esse prazo e quando reativar sua conta, lembre-se de tomar todos os cuidados necessários!

Uma informação importante é que nem sempre a clonagem do Whatsapp se dá porque a pessoa passou o código de ativação para o criminoso. Existe também uma técnica mais avançada, chamada SIM Swap, no qual o criminoso, com o auxílio de funcionários mal intencionados das operadoras de telefonia, clona o chip do celular da pessoa, de modo que todos os sms e chamadas feitos para aquele número, são destinados ao celular do criminoso.

Nesse caso, o celular da vítima fica sem sinal, não é possível fazer nem chamadas nem acessar a internet por redes móveis.
É uma técnica que exige mais dos criminosos e dificulta a defesa da vítima, mas se você usar a verificação em duas etapas, a pessoa ainda assim não conseguirá acessar a sua conta.

Se estiverem se passando por você através de outro número

Nesse caso, você não teve sua conta clonada, então assim que descobrir que estão se passando por você, tome as seguintes providências:

Avise seus familiares com urgência: pais, irmãos, avós e também o máximo de contatos possível, especialmente aquelas pessoas que têm menos entendimento e são mais suscetíveis a acreditar nas mensagens e cair no golpe.

Se agir rápido e conseguir avisar as pessoas, peça para que uma delas tente conversar com o bandido, como se estivesse acreditando que fosse você, para conseguir os dados da conta bancária que o criminoso quer que seja depositado o dinheiro e assim que esses dados forem recebidos, tire uma captura de tela (um print)!

Também tire capturas de tela do contato do número no Whatsapp, que é aquela tela que aparece quando você clica no nome da pessoa (ou no número quando você não o tem adicionado nos seus contatos) no topo do chat. As informações mais importantes que precisam constar são: o nome que a pessoa está usando (normalmente, fica abaixo do número ou nome do contato, seguido por um ~) e também o número do contato e o “recado” (aquela descrição que pode ser colocada) que está sendo usado.

Caso tenha conseguido os dados bancários, entre em contato com o banco de onde for a conta, para informá-los que essa conta está sendo utilizada para fraudes, assim você poderá evitar que as pessoas, ainda que caiam no golpe, percam o seu dinheiro, pois nesses casos, se houver indícios da veracidade, os bancos podem bloquear a conta provisoriamente.

Com os dados do contato no Whatsapp e as capturas de tela (prints), envie um email para o Whatsapp ([email protected]) informando que o número está sendo utilizado para fraudes, enviando todos os prints como anexo, assim o Whatsapp poderá investigar a infração aos Termos de Uso da plataforma.

E ainda, vá na delegacia da sua cidade e registre um boletim de ocorrência com todas as informações que possuir.

Muitas vezes a polícia consegue rastrear o número e prender o estelionatário!

E se por acaso eu cai no golpe e enviei o dinheiro? O que eu faço?

Essa é uma situação muito complicada. Se a conta para onde foi enviado o dinheiro tiver sido esvaziada, ou seja, se o dinheiro tiver sido sacado ou transferido, as chances de devolução, de ressarcimento, diminuem consideravelmente.
Por isso é preciso saber o que fazer e agir rápido.

Em era de transferências por Pix, agir rápido ainda assim pode não ser o suficiente, tendo em vista que são transações instantâneas, o que facilita tanto para o usuário bem intencionado, quanto para o mal intencionado, que também pode movimentar o dinheiro com muito mais agilidade, dificultando o cancelamento da operação.

As decisões judiciais ainda não possuem um entendimento majoritário, alguns entendem que os bancos devem ressarcir o consumidor, outros entendem que a própria pessoa autorizou a transferência, e por isso o banco não pode ser responsabilizado.
Dependendo da situação, os bancos podem fazer uma análise que eventualmente pode ressarcir o seu dinheiro, mas não é uma situação garantida, a análise é feita caso a caso.

De fato, os bancos não possuem uma obrigação legal de ressarcir a vítima, então a maior chance de reduzir o prejuízo é agir rápido.

Se a transferência for feita por meio de TED ou DOC, que são operações que demoram mais para serem efetivadas, você ainda tem mais tempo para resolver o problema, então se por acaso você transferir o dinheiro.
Mas a única diferença entre esses outros meios de transferência e o Pix é a agilidade e disponibilidade do sistema Pix, a segurança é a mesma ou até maior no Pix.

De todo modo, se você enviar dinheiro para o golpista, você deve seguir esses passos:

Entrar em contato imediatamente com o banco para onde você transferiu o dinheiro

O contato deve ser primeiro com o banco para onde o dinheiro foi enviado, não para o seu banco.
Você deverá informar todos os dados que possuir da conta e que foi vítima de um golpe.
Nesses casos, o banco pode bloquear a movimentação da conta e evitar que outras pessoas caiam no mesmo golpe.
E se você for rápido o suficiente e o dinheiro ainda estiver na conta, fica mais fácil de recuperar o valor que foi transferido.

Se a transferência for feita por Pix, também deve ser feito o contato com o banco, mas a operação é muito mais rápida, então você deve ser ainda mais ágil.
O sistema do Pix, segundo o Banco Central, possui uma funcionalidade de notificação de fraude, que marca todas as chaves pix e contas envolvidas numa transação fraudulenta e essa informação é compartilhada com outras instituições bancárias, para impedir que o golpista continue fazendo novas vítimas.

Por isso ainda que você demore para perceber o golpe, entre em contato com o banco, pois sua atitude pode evitar que outras pessoas também sejam vítimas.

Se por acaso tiver problemas com o banco, não se esqueça que você pode abrir uma ouvidoria pelos canais do próprio banco ou ainda fazer uma reclamação no Banco Central!

Fazer um boletim de ocorrência

Com o boletim de ocorrência, a polícia passará a investigar o golpe, sendo que eles possuem diversos meios e tecnologias que permitem rastrear o criminoso e eventualmente podem também recuperar seu dinheiro, se junto ao banco não tiver sido possível!
Ainda que não seja possível recuperar seu dinheiro, fazer o boletim de ocorrência faz com que o crime seja investigado e evita que mais pessoas caiam no mesmo golpe e muitas vezes tira os criminosos de circulação por algum tempo.
Fazer o boletim de ocorrência pode também permitir que a polícia, dependendo do caso, consiga bloquear o número do golpista, impedindo que aquele número pratique golpes de qualquer gênero no futuro.

 

Essas informações são úteis tanto para evitar ser vítima da clonagem de Whatsapp, como para evitar ser vítima de outros golpes que pedem dinheiro pelo aplicativo.
Então compartilhe esse artigo com outras pessoas, para que, com mais conhecimento, cada vez menos pessoas sejam vítimas desse tipo de criminosos.

Se você foi vítima e ainda não sabe o que fazer, não conseguiu resolver com o banco, entre em contato conosco, marque um atendimento, para que possamos analisar o que pode ser feito no seu caso!

Arte por macrovector em Freepik, editada por Douglas Guergolette Alfieri.

Fontes:
https://g1.globo.com/especial-publicitario/whatsapp/noticia/2020/04/30/veja-em-5-passos-como-se-proteger-de-golpes-no-whatsapp.ghtml
https://www.uol.com.br/tilt/noticias/redacao/2020/08/10/golpe-do-whatsapp-veja-o-que-fazer-para-evitar-que-o-app-seja-clonado.htm
https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2021/01/15/golpe-pix-whatsapp-fraude.htm



Deixe uma resposta